fbpx

Artigos

Viagens e autismo

Todo mundo precisa de uma pausa na correria do dia a dia e no final do ano é bastante comum que as famílias planejem viajar para relaxar. Mas para quem convive com pessoas com autismo essa situação pode ser mais complicada. As férias envolvem muitas mudanças que podem acarretar alguns desafios para quem tem o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Principalmente porque as pessoas com autismo tendem a ter problemas com mudanças de rotina. Além disso, é bastante comum que eles sintam dificuldades para lidar com o tempo, especialmente crianças. A espera costuma ser difícil para eles, pois não conseguem ser pacientes e tendem a ficar ansiosos.

E pessoas com autismo costumam ter problemas para interagir com outras pessoas. Por isso, encontrar outras crianças que não fazem parte da rotina familiar pode ser assustador para quem possui TEA.  E é importante lembrar que o autista geralmente possui dificuldades sensoriais. Aeroportos, rodoviárias e hotéis podem ser muito barulhentos e as multidões causam desconfortos.

Mas, não é impossível que uma pessoa com TEA consiga viajar e aproveitar as férias. Viajar ajuda a ampliar os horizontes e aumentar as experiências. Por isso, planejamento é a palavra-chave para quem está disposto a enfrentar esse desafio.

Listamos, a seguir, algumas dicas que podem facilitar esse processo.

–  Escolha o lugar certo: é fundamental escolher um lugar acolhedor, sem ruídos. Converse com a administração e explique que você precisa de um lugar tranquilo e se achar que não será atendido, procure outro lugar. Pergunte sobre as instalações e como elas atendem às necessidades especiais.

– Evite estimular a ansiedade: cuidado ao iniciar a contagem regressiva cedo demais. As crianças com autismo são propensas à ansiedade e antecipar o evento pode ser estressante.

– Explique a situação: conte para a pessoa com TEA o que está acontecendo. Os pais podem mostrar aos seus filhos fotos ou filmes do local ou pesquisar na internet juntos. Ensine seu filho o que esperar antes de partir para o destino escolhido.

– Prepare-se: escolha um horário com antecedência, levando em consideração qualquer comportamento repetitivo ou rotinas que a pessoa tenha estabelecido. Esteja preparado para atrasos ou mudanças no trajeto da viagem e o desconforto que isso pode causar para quem tem TEA.

– Estabeleça com uma rotina: embora as viagens precisem de alguma flexibilidade na programação, considere se há alguma necessidade na rotina diária do seu filho que pode ser mantida durante a viagem.  Por isso, pense na rotina diária e nos itens que ele gosta ou que precisa e não se esqueça de fazer o possível para que ele se sinta confortável.

– Durante a viagem: traga jogos, brinquedos e objetos de conforto para prender a sua atenção. Leve tudo o que puder para fazer a sua viagem mais confortável, como fones de ouvido para ouvir música, livros ou brinquedos e travesseiros.

– Na hora do embarque: se for viajar de avião ou ônibus, esperar nas filas pode ser muito difícil para as crianças com TEA. Para evitar isso, solicite o embarque prioritário. Isso elimina a espera na fila e também garante que você esteja acomodado no avião antes que uma multidão de pessoas comece a entrar nos corredores estreitos. Você também pode optar por um voo que sai à noite para que seu filho adormeça mais rápido e tenha mais conforto.

– Se for a primeira vez de avião: use fotos para mostrar a pessoa com TEA como é um avião, a tripulação e o aeroporto. Familiarize-o com o que ele pode encontrar de diferente como pessoas e equipamentos que ele poderá encontrar no dia. Um exemplo é mostrar uma foto de um comissário de bordo e informar de que aquela pessoa uniformizada como a da foto estará ajudando a família em todas as suas necessidades.

– Segurança em primeiro lugar: se for para um local desconhecido, pense em colocar na pessoa com autismo alguma forma de identificação como pulseira. É preciso checar a questão da sensibilidade sensorial e ver se o autista permite esse tipo de objeto.

Aproveite o momento! As férias são momentos divertidos com a família e amigos. Tente não se estressar com o que você não pode controlar. Não se esqueça de aproveitar e tirar muitas fotos dessas situações. Aproveite as suas férias como um tempo para desfrutar com a família e os amigos.

 

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista que estuda o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) há quase 10 anos, Fabiele Russo é Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD) e Pós-doutorado pela USP. Possui ampla experiência na área do autismo.