fbpx

Artigos

O papel do psicólogo no autismo

Os psicólogos podem desempenhar um papel importante no diagnóstico de TEA e ajudar as pessoas a lidar e a gerenciar os desafios associados ao autismo.

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é uma condição que afeta o desenvolvimento neurológico e causa dificuldades de interação social, no comportamento e na comunicação.

Além disso, o psicólogo pode usar algumas abordagens terapêuticas desenvolvidas para tratar crianças com o TEA.

Vamos detalhar as principais e como esses especialistas são fundamentais para melhorar a qualidade de vida dos autistas.

 

Análise do Comportamento Aplicada (ABA)

A terapia ABA é uma terapia que usa técnicas de ensino baseadas em evidências para aumentar comportamentos adequados e reduzir aqueles que podem ser prejudiciais ou interferem no aprendizado.

Ela é bastante eficaz para melhorar as habilidades de comunicação e sociais.

É uma intervenção considerada bastante eficiente, pois ajuda no aperfeiçoamento de habilidades básicas e complexas, como:

  • olhar;
  • ouvir e imitar;
  • ler;
  • conversar;
  • interagir com o outro.

 

Os psicólogos aplicam a ABA depois de uma avaliação para verificar os comportamentos e determinar o que precisa ser melhorado.

As atividades podem ser desenvolvidas em casa, em escolas ou clínicas.

É uma terapia que usa formas de recompensas para reforçar o comportamento positivo e estimular determinada prática.

Os psicólogos também podem ensinar habilidades para os autistas e torná-los menos dependentes.

O ideal é que a ABA ocorra desde cedo, perto dos quatro anos de idade.

A família também recebe um suporte do psicólogo e é orientada a realizar as atividades em casa de acordo com as necessidades do autista.

 

Psicólogo e Terapia cognitivo-comportamental (TCC)

A terapia cognitivo-comportamental (TCC) concentra-se na conexão entre pensamentos, sentimentos e comportamentos.

O psicólogo, que também é chamado de terapeuta, durante as sessões, conhece melhor a pessoa com autismo e sua família e aprende a identificar os comportamentos e pensamentos que causam desconfortos e precisam ser trabalhadas.

O psicólogo passa a acompanhar a rotina do autista e trabalhar a autorregulação por parte das crianças, a ensiná-las a obterem o autocontrole e como se comportar adequadamente.

Há diversas técnicas usadas pelos psicólogos para melhorar as habilidades sociais do autista.

Eles costumam escutar bastante os pais e a criança e ajudam a lidar com a ansiedade, depressão e situações do dia a dia como rejeição, isolamento e comportamentos inadequados.

Os psicólogos podem usar determinados objetos para estimular o autocontrole e a autorregulação.

Além disso, usam cartões simbólicos com desenhos para se aproximar do cotidiano da criança e fazem intervenções comportamentais.

Os psicólogos fazem com que o autista lide melhor com a frustração, medos, impulsividade, agressividade.

Os psicólogos podem também usar reforços positivos.

Para isso, busca estimular uma frequência maior desse comportamento na vida da criança.

Além dos autistas, os pais podem precisar de terapia para lidar com suas emoções.

 

Como encontrar o psicólogo ideal?

Todo o profissional que visa lidar com os autistas e aplicar a terapia ABA (Análise do Comportamento Aplicada) precisa ser capacitado, realizar uma especialização.

Os pais devem procurar psicólogos com experiência comprovada de atuação em ABA ao autismo e também em TCC.

A participação dos pais é fundamental em todo o processo.

Eles precisam acompanhar as etapas, as intervenções realizadas e ajudar nas mudanças sugeridas pelos psicólogos.

E quanto mais cedo essas intervenções ocorrerem, maiores serão as chances da pessoa com o TEA ter mais qualidade de vida.

 

Referências

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3196209/

https://www.autismspeaks.org/what-autism/treatment/applied-behavior-analysis-aba  

https://www.autismspectrum.org.au/how-can-we-help/therapy-services

https://www.psychologytoday.com/us/blog/child-development-central/201607/understanding-behavioral-therapy-autism

 

 

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista que estuda o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) há quase 10 anos, Fabiele Russo é Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD) e Pós-doutorado pela USP. Possui ampla experiência na área do autismo.