fbpx

Artigos

As crianças com autismo se desenvolvem em um ritmo diferente (quando falamos de aprendizagem).

Por isso, podem precisar de algumas estratégias pedagógicas para aumentar suas habilidades e conseguir aprender de forma mais efetiva.

A boa notícia é que as atividades lúdicas podem ajudar no processo de aprendizagem das crianças com o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).

Algumas atividades simples podem ser realizadas tanto em casa, quanto na escola.

Lembrando que é importante respeitar os limites e as dificuldades de cada criança e pode ser necessário buscar ajuda de um terapeuta ocupacional para determinar qual é a atividade indicada para cada caso e respeitar as habilidades sensoriais, além do grau do autismo.

Um artigo científico mostrou a importância das brincadeiras em crianças com Transtornos do Espectro do Autismo.

Por meio das atividades lúdicas, elas desenvolvem a questão sensorial, aprendem a ser mais independentes e até diminuem alguns comportamentos repetitivos.

Em seguida, vamos listar algumas atividades que podem ser eficazes.

 

Jogo da memória

Fácil de jogar, a brincadeira é, de fato, uma forma de estimular a memória de forma lúdica.

Em primeiro lugar, escolha um tema que a criança se interesse e goste para se sentir estimulada a participar da brincadeira – pode ser carrinhos, personagens, frutas, cores etc.

Espalhe as figuras repetidas em uma mesa ou chão e então, estimule a criança a encontrar o par.

Explique as regras do jogo quantas vezes forem necessárias e participe da brincadeira.

Jogos tipo dominó, quebra-cabeças, assim como, cartões para pareamentos e de associações diversas também cumprem o mesmo objetivo.

 

Atividade de contar histórias

A atividade de leitura de histórias pode estimular a criatividade e imaginação das crianças autistas.

Escolha histórias que prendam a atenção da criança e separe um tempo do dia para contar as histórias preferidas dela.

 

Com que letra começa os objetos

Recorte algumas letras em papel ou cartolina e separe alguns objetos da casa no local preferido da criança.

Posteriormente, coloque no chão e estimule a criança a descobrir com que letra começa tal objeto.

Essa atividade ajuda na memória e linguagem.

 

Buscar objetos

Escolha um cômodo da casa e peça para que a criança observe o que está lá.

Depois, mude algo de lugar sem que a criança veja e pergunte se ela sabe onde está determinado objeto.

Essa atividade é indicada para ampliar a noção de espaço da criança.

 

Atividades ao ar livre

Primordialmente, esses tipos de atividades ajudam as crianças a usar os sentidos.

Escolha um parque para passear e se divertir.

Incentive a criança a brincar com os pés descalços sempre que possível.

Leve os brinquedos prediletos e faça um piquenique com seus alimentos favoritos para tornar essa atividade uma experiência agradável para todos.

 

Eu me pareço com quem, estimulando a aprendizagem

Deixe a criança folhear revistas, a fim de que, ela procure algumas características físicas semelhantes as delas em estranhos.

Depois, permita que ela faça recortes com uma tesoura sem ponta e realize colagens de pessoas parecidas com ela.

A atividade estimula a psicomotricidade e memória, além disso, aumenta o conhecimento do próprio corpo.

 

Aprendizagem com pintar e desenhar

Usando tinta e papel as crianças podem criar diversos desenhos nas mais variadas cores.

Antes de mais nada, essa atividade ajuda cada criança a reconhecer as cores e perceber que pode criar novas tonalidades ao misturar as tintas.

É uma forma de estimular a criatividade e a observação.

Por isso, deixe os materiais acessíveis para a criança desenhar sempre que tiver vontade.

 

Caixas sensoriais

É possível, de fato, criar com uma caixa de papelão um brinquedo bastante simples e uma atividade que estimula os sentidos.

Coloque na caixa objetos com formatos diferentes e tecidos com texturas variadas como botões, massinha, tecidos, brinquedos, entre outros.

Faça com que a criança coloque a mão na caixa e tente adivinhar o que está lá dentro.

 

Referências:

https://www.sciencedaily.com/releases/2013/08/130816125311.htm

https://www.waterford.org/education/15-activities-teaching-strategies-and-resources-for-teaching-children-with-autism/

 

Dra. Fabiele Russo

Neurocientista que estuda o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) há quase 10 anos, Fabiele Russo é Mestre e Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo (USP) com Doutorado no exterior pelo Departamento de Pediatria da Universidade da Califórnia, San Diego (UCSD) e Pós-doutorado pela USP. Possui ampla experiência na área do autismo.